Bastidores #04 – Áreas de atuação no ramo de Board Games

Eu quero trabalhar com Jogos! Mas… como?!

Se minha batata assasse um pouco mais cada vez que me perguntam como eu, o Gato Batata, chegou onde chegou, eu certamente teria passado do ponto. É verdade que queremos – e muito – que as pessoas levem mais a sério o hobby, as capacidades do ludismo e tudo que envolve esse universo, mas é tanta coisa para se descobrir! Tanto território para cobrir! Muitas vezes alguém quer trabalhar com jogos, mas não sabe por onde começar, o que fazer, e acaba se afastando ou ficando perdido no meio do caminho.

Com a gente não foi diferente, sabe? Existem muitas nomenclaturas em cada um dos setores do conhecimento, e pode ser muito difícil chegar em algum lugar sem saber como as coisas funcionam. Pensando nisso, tento eu aqui, humildemente, trazer um pouco de luz e explicar as áreas envolvidas no universo dos jogos.

Que fique claro que, apesar de estar envolvido até o pescoço com o jogos, e apesar de Senhor e Senhora Meow terem passado por uma faculdade de Jogos Digitais, o que vai ser dito aqui pode não ser absoluto, mas talvez te ajude muito, ó entusiasta do mundo dos jogos, a entender melhor como funcionam as coisas. Ah, aliás, vamos focar um pouquinho mais nos jogos de mesa ou, como são comumente chamados hoje, jogos analógicos. Vamos lá?

Continuar lendo Bastidores #04 – Áreas de atuação no ramo de Board Games

Anúncios

Potato Cat – Bastidores #03

Analógico vs. Digital!

—–

Neste “Bastidores”, o simpático e humilde Gato Batata, que sou eu, traz até a você um pouco do debate sobre a escolha de plataforma para se produzir um jogo.

Lição aprendida: Toda ideia de jogo pode ser adaptada para PCs ou para mesas, mas será que todos da sua equipe são bons produzindo para as duas plataformas? Vale muito a pena atentar-se às habilidades de seus companheiros desenvolvedores na hora de bater o martelo a respeito disso.

Dica do Gato: Tome cuidado para não desvalorizar a sua ideia. Ela pode ser realmente boa, mas dependendo da forma que for aplicada, pode acabar se transformando em algo muito diferente daquilo que ela “nasceu para ser”. Mas lembre-se: o problema não é a mudança, mas sim a perda da essência que de fato deveria ser transmitida com a ideia.

—–

Desenvolver um jogo é algo tão desafiante quanto recompensante. Existem muitos elementos com os quais os game designers têm que se preocupar para fazer algo divertido e uma das análises mais interessantes cai sobre a plataforma do jogo.

Continuar lendo Potato Cat – Bastidores #03

Potato Cat – Bastidores #02

Projetos!

—–

Neste “Bastidores”, o único narrador que é tão gato quanto batata que você irá encontrar, traz até você um pouco sobre a experiência de planejar e produzir diversos projetos ao mesmo tempo.

Lição aprendida: Antes tarde do que nunca, pode ser bem mais interessante você já ter seu projeto bem documentado, transcrito e até mesmo testado antes de mostrá-lo para os demais e cogitar formar uma equipe. Isso pode lhe ajudar a manter o controle sobre mais de uma jornada ao mesmo tempo e também a conquistar um pessoal determinado e interessante para trabalhar com você.
Dica do Gato: Então assim que eu tiver meu projeto documentado e tudo arrumado, é só sair mostrando pra quem eu achar bom e legal? – Muita calma nessa hora. Lembre-se que isso pode ser algo muito arriscado! Trabalhe com confiança, ou trabalhe com contratos.

—–

Quando a Potato Cat surgiu (e isso quer dizer: quando eu nasci), éramos um grupo universitário de quatro alunos num curso de Jogos Digitais, numa faculdade de tecnologia, mais especificamente na Fatec de São Caetano do Sul. Aquele típico grupo que faz todos os trabalhos juntos, que tem ótimas ideias e faz tudo em harmonia.

Continuar lendo Potato Cat – Bastidores #02

Potato Cat – Bastidores #01

Eventos!

—–

Neste “Bastidores”, o Gato Batata, que sou eu, conta um pouco sobre a cansativa jornada do Game Designer e sua busca pelo evento ideal para levar suas ideias e seus jogos.

Lição aprendida: Existe evento para tudo! Não é só porque você não conseguiu realizar suas expectativas que um evento não é bom ou de valiosa importância para a área. Faça sempre uma boa pesquisa a respeito de edições anteriores e vá preparado para abrir sua mente e entender a experiência como um todo.
Dica do Gato: Tudo pronto para o evento? Então isso quer dizer que você pegou uma garrafinha com água, né? Porque se você pretende conversar com alguém, ou várias pessoas, meu amigo, é melhor você levar água. Na volta você provavelmente vai estar morrendo de sede e provavelmente vai se arrepender de não ter levado uma (ou duas) garrafinha(s) com você.

—–

Há muito tempo atrás (ou talvez nem faça tanto tempo assim), antes mesmo de Gatos e Batatas estarem tão diretamente associados, isto é, antes de meus pais me conceberem, Senhor Meow já tentava trilhar o caminho comercial e social do desenvolvimento de jogos. Ia para eventos de jogos digitais independentes, para grandes eventos expositivos de jogos, palestras, cursos, encontros de jogos, encontros de investimentos, e muitos outros.

Continuar lendo Potato Cat – Bastidores #01