Desafio 100×1 – Fevereiro

Olá amigos!

Eu sei que já é quase o fim de Março, mas ainda não falamos sobre o Desafio 100×1 de fevereiro! Então cá estou.

Um pouco diferente de janeiro, dessa vez não tivemos tanto tempo para jogar, pois estamos com muitos projetos e atividades em andamento. Mesmo assim, acreditamos que o resultado foi bem gratificante.

Além da lista de jogos que jogamos pela primeira vez no ano, gostaríamos de ressaltar que também jogamos alguns outros, como Grasse e Sagrada (que estão na lista do desafio 10×10), Abstratus, New Eden Project (que não conta porque é da Potato, né?) e vários protótipos que ainda não podemos revelar.

Em fevereiro jogamos 13 jogos, isso nos dá 32/100 de nossa meta!

Enfim, chega de papo. Aqui vai o resultado de fevereiro:

Resumo

20 – La Muse
21 – Os Campos do Caos
22 – Akigam
23 – Butim
24 – Machina: Simulacro de Guerra
25 – Dominion
26 – Fungi
27 – The Resistance
28 – Fae
29 – Fear
30 –  Costa Ruana
31 –  7 Wonders
32 –  Fighting Frames


20 – La Muse

La Muse.jpg

O primeiro jogo que jogamos no mês foi um protótipo, e vocês vão ver que fizemos isso mais algumas vezes. Jogamos La Muse em 3 pessoas, com um PnP bem meia boca feito em casa, na folha sulfite e em preto e branco (isso porque o jogo é todo bonito, com umas artes maravilhosas).

Este jogo havia saído em financiamento coletivo, mas não vingou. Mas a gente ficou curioso com ele, pois gostamos bastante do tema e da mecânica de alocação de dados. Então decidimos testar. É um jogo leve, com algumas características bem interessantes e bem gostosinho de jogar. No fim das contas, achamos que ele seria bom para o nosso mercado, então, fica aqui o recado pro autor do jogo: não desiste!

21 – Os Campos do Caos

Os Campos do Caos.png

Como disse, a gente estava pra jogar protótipo e PnP em fevereiro. Os Campos do Caos é um jogo do Jordan Florio, conhecido pelo Studio Teia de Jogos e pelos vários PnPs disponibilizados gratuitamente.

Ganhamos um PnP dele durante um Lab Jogos, há um tempinho. Mas nunca tínhamos jogado.

Acreditamos que o jogo tem um potencial bem legal, mas ainda falta algo pra chamar mais a atenção. De toda forma, o Jordan tem se saído bem e explorado projetos bem inovadores, então a gente não pode deixar de dar nossos parabéns a ele.

22 – Akigam

Akigam.jpg

Akigam é um joguinho pequeno e rápido. Mesmo assim, ele traz um conceito bem divertido e criativo, misturando jogo da memória com combate.

O jogo, anteriormente assinado pela Papaya, e agora em posse da Ludens Spirit, sempre me remeteu muito ao jogo de PC Magika, que foi, de fato, uma referência bem forte pra sua criação.

Reconhecemos que é um jogo bem simples, mas gostamos dele. Acreditamos que ele seja um jogo de certa forma muito punitivo e que não combina muito bem com muitos perfis de jogadores, mas vale a pena dar uma chance pra ele, principalmente pelo custo benefício.

23 – Butim

Butim.jpg

Butim é o primeiro jogo da falecida Papaya Editora, lançado em 2014.

Naquela época, ele certamente foi uma novidade para o mercado de jogos de tabuleiro. Hoje em dia, achamos, ele é uma opção mediana.

Isso porque ele é um jogo de muita sorte e poucos dilemas para os jogadores. Isso não o torna ruim, mas também não o torna um diferencial, nem o coloca entre as primeiras opções de compra.

24 – Machina: Simulacro de Guerra

Machina.jpg

Este é outro jogo do Jordan, e que também está disponível em PnP no site do Teia de Jogos. O Machina é um jogo bem mais estratégico e “pesado” que Os Campos do Caos, mas ainda assim é um jogo leve, bom para pessoas que gostam de um war game, mas não querem ficar horas debruçados sobre um tabuleiro.

A temática do jogo pega a gente de jeito, afinal, é Steampunk! E o jogo tem mecânicas bem casadas com o tema, o que deixa ele bem interessante. Acreditamos que o jogo ainda precisa passar por uns ajustes, e até falamos com o Jordan a respeito.

Seria bem bacana ver esse jogo tendo uma produção de peso mais no futuro.

25 – Dominion (2ª Edição)

3 - Dominion.png

Esse era o único jogo do nosso desafio 10×10 que ainda não havíamos jogado nenhuma vez.

Ah, Dominion, por que demoramos tanto? Que joguinho gostoso, né? Gostamos muito de deckbuilding, vocês já devem saber. Portanto, gostamos muito de Dominion – o pai desses outros jogos do gênero.

Nós ainda preferimos o Ascension, mas temos total consciência de que ambos são ótimos jogos e é tudo questão de gosto.

26 – Fungi

fungi.jpg

Este é um jogo que impressiona. Para 2 jogadores, é pequeno, compacto, com regras até que simples, mas muito gostoso de jogar e com dilemas realmente interessantes. É sempre bom quando um jogo permite um modo de jogar mais descompromissado, e um mais “fritado”, onde você pode contar até as jogadas futuras para calcular o que fazer.

O tema se destaca por ser bem incomum, e talvez não atraia tantas pessoas assim, mas não se deixe enganar por isso ou pelo tamanho da caixa: Fungi é um jogo maravilhoso para se ter na coleção.

27 – The Resistance

The Resistance.jpg

O que se joga em um aniversário? The Resistance, é claro!

Este foi um dos jogos que nos trouxe ao mundo dos boardgames, e sempre que nos juntamos com a galera, ele é uma ótima opção.

Não sei se vocês sabem, mas o Sr. Meow fez aniversário, então a gente fez uma surpresinha pra ele com direito a salgados, bolo e jogo! A ideia era ter jogado outras coisas, mas as partidas de The Resistance são sempre tão tensas e intensas que a gente ficou mais de horas só nele!

28 – Fae

Fae.jpg

Como de praxe, fomos ao BGSP no último fim de semana do mês.

O primeiro jogo que nos apresentaram foi o Fae, novidade da Conclave Editora. O jogo nos chamou a atenção tanto pela arte quanto pela mecânica.

Ele tem todo um visual elegante, com cores delicadas, mas ao mesmo tempo atraentes. O gameplay também é bem interessante, estratégico e divertido, com um sistema de controle de área não muito óbvio.

Aprovamos o jogo e jogaríamos de novo pra descobrir mais um pouquinho sobre ele.

29 – Fear

Fear.jpg

Fear é um jogo curioso, que nos lembrou a série “Fluxx” – no Brasil, acho que o único jogo da série é o Eco Fluxx. Não sabemos se gostamos tanto dele, inclusive.

Ele traz uma premissa muito boa, mas tem uma jogabilidade extremamente simples e, chega um momento, entediante. Talvez seja um jogo que depende muito dos jogadores e acho que não combinou tanto com a gente.

30 – Costa Ruana

Costa Ruana.jpg

Ainda no evento, nos juntamos a uns amigos pra jogar mais um pouco. Costa Ruana é outro jogo de controle de área diferenciado. Ele tem um design todo bonito, desde a caixa até os cuidados com os componentes.

Um dos pontos positivos dele é o fato dele receber uma grande quantidade de jogadores (até 6!), e foi por isso, aliás, que o escolhemos, e sem arrependimentos! A mecânica é gostosa de jogar e interessante. Não sei se entra pra nossa lista de compras, mas é uma experiência que vale a pena.

31 – 7 Wonders

7 wonders.jpg

Pra fechar o dia de jogatina, fomos de 7 Wonders. Curiosamente, essa foi apenas a segunda vez que jogamos esse clássico.

É engraçado como as pessoas que jogam ele pela primeira vez ficam um pouco perdidas. Nós ficamos quando nos apresentaram ele, e dessa vez não foi diferente com parte do nosso grupo. Mas a partida fluiu legal e todos gostaram do jogo.

Aqui na Potato, em particular, nós preferimos bem mais o 7 Wonder Duel, principalmente porque jogamos bem mais em 2 pessoas. Mas reconhecemos que ambos têm suas qualidades e utilidades.

32 – Fighting Frames

Fighting Frames.jpg

Este é mais um protótipo. Na verdade, o Rafael Arrivabene, autor do jogo, fez algumas cópias dele de forma independente. Mas a bem da verdade é que ele é um projeto que ainda pode crescer muito.

O jogo tem uma arte muito bontitinha e cativante, feita, também, pelo Arrivabene. A mecânica dele é básica, aproveitando de alguns conceitos de Super Trunfo. Para um jogo infanto-juvenil, acreditamos que ele traz desafio na medida certa.

Se algum dia o jogo for lançado, já fica a dica: comprem!


E dessa vez paramos por aqui. Foram 13 jogos para o mês mais curto do ano, então… nada mal, não é?

Comentem aí do que acharam de nossa lista até agora, e também o que acham desses jogos que jogamos.

Volto em breve pro resultado de março. O que será que nos espera?

Abraço batatoso,

Gato Batata

Anúncios

Publicado por

Potato Cat

Olá! Eu sou um gato. E uma batata. E também uma empresa de jogos. Leia um pouco do conteúdo desse blog e certamente você saberá bem mais sobre mim ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s