#03 Sereias – Prototipando em Águas Desconhecidas

Olá amigos!

Hoje é dia de continuar falando sobre o desenvolvimento do jogo Sereias, do Jorge e da Sabrina. Mas antes de mais nada, se você ainda não leu o DevLog 01 ou o DevLog 02 do jogo, trate de ler agora!

Nesse terceiro capítulo, o Jorge (Joca) Rocha continua falando sobre os primeiros passos na criação do Sereias, e explica quais foram os desafios, métodos e resultados de fazer um protótipo. Dessa vez também temos algumas imagens e até um spoiler da arte nova.

Tá curioso, né? Então vamos ler!

Continuar lendo #03 Sereias – Prototipando em Águas Desconhecidas

Anúncios

#02 Sereias – Sobre Sereias e Mecânicas

Olá a todos!

Chegou a hora do segundo capítulo do DevLog do jogo Sereias, dos nossos amigos Jorge Luís Rocha e Sabrina do Valle – e que em breve estará em Financiamento Coletivo!

Como vocês viram no último capítulo – se não leu, tem que ler agora, hein? – o primeiro estalo para a criação do jogo foi o tema “Sereias”. Mas será que as mecânicas surgiram de forma tão natural assim também? Pois bem, o texto de hoje, escrito mais uma vez pelo Jorge (Joca) Rocha, fala sobre como tema e mecânica, para esse jogo, encaixaram tão bem.

Bora ler?

Continuar lendo #02 Sereias – Sobre Sereias e Mecânicas

#01 Sereias – “Queria um jogo sobre sereias!”

Olá pessoal! Este é o primeiro capítulo do DevLog do jogo Sereias, dos nossos amigos Jorge Luís Rocha e Sabrina do Valle, e que entrará em financiamento coletivo muito em breve, no final de 2018.

Esse texto é dedicado a todos os humanos, gatos, batatas, sereias e tritões que, por algum motivo feliz, se interessaram por nosso projeto. A cada 2 semanas estaremos por aqui, com um pouquinho de conteúdo sobre o jogo e seu processo de criação!

Para começar, o Jorge (Joca) Rocha vai falar sobre… o começo de tudo e como veio a nascer o Sereias. Vamos ler?

Continuar lendo #01 Sereias – “Queria um jogo sobre sereias!”

Resenha do Gato #01 – Machina

Uma das tarefas mais divertidas e importantes que um gato batata… Digo..  Que um game designer tem que fazer é nada mais, nada menos, do que jogar.

Quando você joga simplesmente por diversão, tudo o que você quer é dar umas boas risadas, botar a cabeça pra pensar de um jeito diferente e escapar do cotidiano. Mas quando você cria jogos, cada partida é recheada de análises sobre cada pequeno elemento que forma o jogo. Parte da nossa diversão vem disso, sabia? Ao menos eu adoro identificar mecânicas, variáveis, dilemas e tudo mais.

Como você deve saber, e como diz o velho ditado, nada se cria, tudo se copia. É totalmente saudável que o profissional de uma área estude os trabalhos realizados por outros profissionais. Isso cria produtos mais interessantes, prevê falhas em seus projetos, e ainda alimenta a comunidade de desenvolvedores.

Por isso e por alguns outros motivos sutis, este gato batata aqui decidiu começar a escrever resenhas de jogos! Dessa forma, além de fornecer feedback que, espero eu, seja interessante para os criadores, podemos criar uma pequena teia de informações que também podem ser úteis para outros desenvolvedores e até mesmo jogadores.

E por falar em teia, o primeiro jogo do qual gostaria de falar é uma criação do Studio Teia de Jogos, um fantástico grupo amigo da Potato Cat que tem seu foco voltado para jogos de Print and Play. Jordan Florio, desenvolvedor do grupo, sentou com Senhor Meow e seu companheiro de aventuras e viagens, Víctor Silva, para uma partida de Machina: Simulacro de Guerra.

Continuar lendo Resenha do Gato #01 – Machina

Cartas a Vapor – DevLog #12

Heróis & Vilões

—–

Enquanto Senhor & Senhora Meow, meus queridos pais, estavam ocupados confeccionando protótipos reais das ferramentas de Cartas a Vapor para fins de teste de verossimilhança, percebi uma estranha luz vinda de um de nossos depósitos de engrenagens. Quando alcancei o pequeno cômodo, encontrei, envolta numa estranha gosma ectoplasmática, um pequeno pedaço de papel. Nele, inscrições de tempos longínquos descrevem, numa estranha e quase profética coincidência, algo muito semelhante ao nosso processo criativo de Cartas a Vapor.

Agora, após finalmente conseguirmos limpar todos os resquícios do líquido viscoso, trazemos, na íntegra, esta carta assinada por Enéias Tavares. Confira.

E se você perdeu alguma coisa ou deseja rever algo nos DevLogs de Cartas a Vapor, clica aqui e dá uma olhadinha em nosso resumo.

—–

Como o desafio inicial do cardgame Cartas a Vapor era produzir um jogo que servisse tanto como jogatina divertida e vistosa quanto como um suplemento aos leitores da série, que porventura estivessem interessados apenas em determinadas informações – textuais ou visuais que ele poderia trazer – meu trabalho foi direcionado para personagens, ferramentas, cenários e outros construtos que pudessem expandir o cenário da série.

Continuar lendo Cartas a Vapor – DevLog #12

Cartas a Vapor – DevLog #03

Bem Vindo ao Mundo dos Jogos

—–

Neste DevLog, seu querido Gato Batata… Ah, não… Espera um pouquinho… Não fui eu quem escreveu esse! Na verdade, é autoria de nosso (também querido) amigo, Enéias Tavares, autor de A Lição de Anatomia do Temível Doutor Louison, e parceiro essencial para a criação do Cartas a Vapor. Mais abaixo ele nos dá umas palavrinhas a respeito de suas primeiras experiências com o mundo dos jogos e, mais precisamente, com o início de nossa deliciosa parceria.

Lição aprendida: Amigos, amigos. Negócios à parte. Mas, às vezes, são os negócios que nos trazem grandes amigos, aventuras e novos horizontes.
Dica do Gato: Você ainda não leu o primeiro livro da série do Brasiliana Steampunk? Então o que está esperando? Você pode encomendá-lo (junto com outras coisinhas muito interessantes) na loja EPIC.

—–

Jogos são diversões coletivas, que aproximam amigos, fortalecem afetos e, por que não?, despertam paixões e talvez amores por toda a vida. Jogos são igualmente desafiadores e encantadores. Eles te fazem abraçar o esforço e pensar muito sobre como resolver problemas, chegar ao final da missão, vencer seus inimigos ou simplesmente completar as sequências de números ou naipes. Dependendo das regras, do cenário ou da caracterização, certos jogos te fazem abandonar um mundo rotineiro e entediante para adentrar em calabouços com dragões, em mansões com suspeitos e detetives ou no campo de batalha dos investimentos imobiliários, nos quais se pode ganhar ou perder tudo, literalmente.

Continuar lendo Cartas a Vapor – DevLog #03