Cartas a Vapor – DevLog #04

As Vantagens de Edward Mãos-de-Tesoura

—–

Antes de mais nada, eu, o Gato Batata, gostaria de dizer duas coisas. A primeira é que uau! que belo texto esse de nosso caro amigo Enéias, não? Muito obrigado! E a segunda é que uau! nossa página no facebook atingiu a marca de 100 curtidas nessa semana! Muito obrigado MESMO a todos que nos apoiaram até o momento! A todos os feedbacks, likes e playtests. Isso faz dessa batata aqui o gato mais feliz que poderia existir, podem ter certeza.

Para comemorar essas maravilhosas curtidas, gostaríamos de compartilhar com vocês uma arte inédita de nosso jogo, criada pelo habilidoso Bruno Accioly, nosso exímio ilustrador e membro importantíssimo do Conselho Steampunk. Confiram mais abaixo no DevLog!

E falando nele, hoje nosso DevLog será sobre protótipos! O que é isso? Como fazer? Para que serve? Com a ajuda de Sr. e Sra. Meow, vou responder essas perguntas e mostrar para vocês como é possível jogar um jogo antes de terminá-lo.

Lição Aprendida: Se possível, imprima / faça seus protótipos em papéis que não sejam transparentes. Ou então você provavelmente terá que recortar um papel extra somente para acabar com essa transparência, e aí, como dizem, o barato pode sair caro.

Dica do Gato: Não tenha preguiça de imprimir novos ajustes em seu protótipo. Alguns ajustes feitos a lápis ou caneta podem até funcionar, mas sempre que seu projeto for crescendo, tomando vida e ficando com elementos mais definitivos, faça protótipos novos. Isso aproxima o jogador do provável resultado final, o que gera testes mais precisos e, é claro, divertidos.

—–

Não sei se vocês sabem, mas a prototipação é uma etapa essencial no desenvolvimento de qualquer jogo, seja ele digital ou analógico, grande ou pequeno, complexo ou simples. É nos protótipos que conseguimos enfim visualizar como o jogo funciona, porque, até então, tudo é “jogado” em nossa mente.

Basicamente, um protótipo é uma versão menos detalhada da versão final, contando apenas com os elementos essenciais para realizar testes de gameplay. Em nosso caso, optamos também por algo mais barato, já que o lucro não viria dali. A solução seria, assim, fazer uma impressão caseira das cartas, em folhas de sulfite mesmo. Só havia um pequeno probleminha nisso: nosso baralho base possuia (e ainda possui) 104 cartas de peças, 50 ferramentas e 20 personagens. Isso excluindo as cartas de cenário e de missão, que por muito tempo trocamos por métodos alternativos para realizar os testes, justamente pelo fato de que, somando-as com as demais, teríamos 248 cartas. E isso, meus amigos, é carta para mais de metro. Mas às vezes é preciso se esforçar um pouco para ter o que se quer, não é mesmo?

Antes de sairmos cortando papel adoidados, no entanto, resolvemos criar um layout básico para as cartas, algo provisório enquanto acertávamos os detalhes das artes e conversávamos com Enéias a respeito de certos elementos. Esse layout não era lá a coisa mais bonita do mundo, mas era, no mínimo, interessante. Por quê? Bem, nós explicamos.

Em concepções de jogos anteriores, havíamos feito protótipos em uma qualidade infinitamente mais baixa do que a do Cartas a Vapor. E, muito embora os jogadores pudessem achar a mecânica interessante, a estética das cartas os incomodava muito, o que poderia, apesar de não ser o correto, atrapalhar em seu julgamento sobre nosso jogo. Seres Humanos são seres muito ligados com essa coisa visual, sabe? Mas eu acho que isso nós temos em comum, ou então gatos não amariam novelos de lã.

De qualquer forma, para vocês terem uma noção do nível de nossos primeiros protótipos, aqui vão algumas imagens:

OldProtótipos.jpg
À direita, cartas e “moeda” do jogo KarnifiCINE, ainda em desenvolvimento por nossa equipe. Hoje em dia os protótipos estão muito mais legais. E, à esquerda, sim, são dados! Dados de um projeto super secreto no qual também estamos trabalhando.

EnéiasEPrimeiroProtótipo.png
E esse é o primeiro protótipo do Cartas a Vapor, que utilizamos para jogar pela primeira vez com o próprio Enéias em uma de suas vindas a São Paulo.

É claro que, se você se sentar à mesa para testar um jogo com um grupo que consegue abstrair facilmente o fato do visual do protótipo não querer dizer NADA a respeito do resultado visual final, então o playtest flui lindamente e traz resultados interessantes.

Mas nós precisávamos checar aceitação da maior quantidade de pessoas que poderíamos encontrar, além de passar uma certa sensação de profissionalismo, para que nos levassem mais a sério. Afinal, nosso público alvo deveria abranger também leitores, e cada tipo de público se comporta de forma diferente.

Bem, feito isso, hora de cortar!

Os dedos da Senhora Meow que o digam, nós cortamos muitas cartas. E, como vocês devem imaginar, o jogo não estava perfeito logo de cara. Por isso, muitos textos foram arrumados, muitas cartas tiveram que ser alteradas. E isso quer dizer que nós imprimimos elas de novo, e cortamos de novo.

Para que o protótipo ficasse relativamente durável (pois precisaríamos testar MUITAS vezes), investimos um dinheirinho em sleeves, ou shields, que nada mais são do que plastiquinhos resistentes para colocar as cartas. Além disso, para que o verso das cartas não ficasse transparente, tivemos que recortar mais uma vez o número total de cartas em papel cartão colorido, colocando-o no verso.

Isso tomou um bom tempo, um pequeno investimento e muita força de vontade.  Mas, no final das contas, foi crucial para avançarmos muito na direção do que temos hoje, um jogo completo, fluído e interessante, atendendo a todas as exigências de Enéias e, esperamos nós, às expectativas de seu público.

Por um bom tempo utilizamos esse protótipo nos testes e, para nossa alegria, muitos acharam que até mesmo o layout provisório estava magnífico. Quando mostrávamos as artes que estavam sendo feitas, então, ficavam ensandecidos.

LouisonEVitória.png
Está aí a imagem que prometemos! Louison, o Médico Renomado, e Vitória Acauã, a Médium Indígena. Bruno fez um lindo trabalho, não?

Depois tivemos que imprimir outro protótipo (com cartas que tinham as artes de Bruno e todas as atualizações de mecânicas que precisamos fazer). Quando o pessoal viu as novas cartas, pensaram inclusive que era outro jogo. E no fim das contas, isso passou a nos ajudar com testes não só de mecânica e jogabilidade, mas os de arte também.

Ainda precisaremos imprimir mais um outro protótipo, mais bonito e mais próximo do jogo final. Porém, felizmente, nossos resultados mostram que já podemos investir um pouco mais nisso, e iremos imprimi-lo numa gráfica especializada em baralhos (sim, elas existem, mas são poucas).

Fazer protótipos é algo mais complexo do que parece, sabiam? Com o tempo você aprende que algumas informações não devem ser impressas, e sim deixadas em aberto para edição manual, com lápis mesmo. Que alguns papéis são mais apropriados do que outros. Que seu trabalho em prototipação pode ir para o ralo do dia para noite se você não protegê-lo bem, principalmente quando você o leva para um evento e, no meio do caminho, começa a chover. E muitas outras coisas que, quando você não sabe ainda, te frustram um bocadinho.

E com o tempo você também aprende que a prototipação de um jogo é uma das etapas mais importantes de todo o processo criativo. Afinal, é ela que serve de ponte entre a criação e a execução. Sem um protótipo, o criador não chega até o jogador.

Mas imagino que vocês queiram saber como ficaram essas cartas e o que de fato elas fazem nesse jogo. Por isso, nos nossos próximos capítulos, iremos falar sobre cada um dos elementos do jogo, com algumas artes para eles, narrativas divertidas sobre como foi colocá-los no jogo e o trabalho que foi desenvolver algo cabível para Cartas a Vapor. Então, fique de olho em nossas postagens aqui no Blog e também no Facebook, onde registramos toda semana algo sobre nosso progresso e também eventos nos quais compareceremos para mostrar ao público um jogo que está nos dando muito trabalho, mas que, futuramente, esperamos dar também muita diversão.

Publicado por

Potato Cat

Olá! Eu sou um gato. E uma batata. E também uma empresa de jogos. Leia um pouco do conteúdo desse blog e certamente você saberá bem mais sobre mim ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s